13 Março 2018 - 22:51

Governo investe mais de R$ 180 milhões em obras estruturais para Lagarto

O município de Lagarto, cidade de maior projeção do Centro Sul sergipano, está recebendo diversos investimentos do governo do Estado em ações estruturais. Desde a zona urbana até a zona rural, várias vias têm sido pavimentadas e saneadas para garantir a melhoria da qualidade de vida da população. São mais de R$ 180 milhões em obras que vão beneficiar mais de 100 mil moradores da região.

Os serviços de pavimentação já em andamento no município contemplam as localidades do Rio Fundo, Mariquita e pista do Pau Grande, assim como as ruas do Conjunto Jardim Campo Novo. Já as obras de esgotamento sanitário também estão em plena atividade, avançando em três frentes de trabalho.

O conjunto de medidas do governo de Sergipe em Lagarto inclui, ainda, ações de incremento do fornecimento de água ao município. São R$ 83 milhões em investimentos com essa finalidade, que alcançam principalmente as comunidades rurais. O povoado Campo do Crioulo é um dos locais favorecidos, que está recebendo R$ R$1.841.275,62 para a implantação de seu sistema de abastecimento hídrico. O investimento beneficia 800 pessoas.

Pavimentação

A pavimentação granítica das áreas urbana e rural de Lagarto faz parte de um investimento de R$ 9 milhões, cujo recurso foi obtido via emendas parlamentares. O valor custeará ainda a recuperação de espaços de cultura e esporte no município do Centro-Sul, além de garantir melhorias também para a capital.

A estudante Vitória Beatriz de Jesus, de 16 anos, é uma das moradoras do Jardim Campo Novo e será beneficiada pela pavimentação. Segundo ela, a medida trará mais autonomia para quem reside na região. “A gente está achando legal a obra, porque pelo outro lado está meio difícil de passar. Agora vai facilitar. Vai ficar melhor para ir para a feira, para os coletivos passarem... Moro há muito tempo aqui, vi quando eles começaram a fazer a obra, e estou gostando muito”, diz.

Esgotamento

Os investimentos em esgotamento sanitário para Lagarto totalizam R$ 95.930.000. As obras compreendem a construção de nove estações elevatórias, uma estação de tratamento de esgoto com vazão média de 74,34 litros por segundo e uma rede coletora com extensão de 104 mil metros. A execução da obra é de responsabilidade da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) e os recursos são oriundos de financiamento entre governos do Estado e Federal com a Caixa Econômica.

De acordo com Wagner Santos Teles da Silva, membro da equipe de engenharia da obra, mais de 60% das ações já estão concluídas. “A parte de rede coletora, que é feita nas ruas, está com cerca de 80% concluído. A parte de estrutura dentro da estação de tratamento está com 70% pronto. Além disso, têm as ligações ramais, prediais, domiciliares. No geral, a obra está entre 60 e 70% concluída. Acabamos de fazer o concreto que vai receber as sapatas do leito de secagem da estação de tratamento. Ainda esta semana serão feitas as sapatas, concluindo todas as sapatas da primeira unidade e também duas lajes de uma das elevatórias”, esclarece.

O mecânico José Marcelino dos Anjos, que mora e trabalha na avenida Deijaniro Jonas, não vê a hora de a obra ser finalizada. “A gente espera há muitos anos por essa rede de esgoto. Nasci e me criei aqui perto, tenho 61 anos, e desde que eu me entendo como gente o esgoto aqui é a céu aberto. Fica sempre um mau cheiro, cheio de mosquito.Mas quando terminarem a obra vai ser bom demais, vai melhorar mil por cento. Vai valorizar muito a região”, opina.

Abastecimento

A comunidade do Povoado Campo do Crioulo deve receber, ainda neste mês,o seu novo sistema de abastecimento de água, que irá beneficiar 800 pessoas em 220 casas. São 8 mil metros de adutora e 3 mil metros de rede de distribuição, incluindo o assentamento Dorothy Stang. O projeto está sendo executado pela Deso.

Para a dona de casa Zuleide dos Santos, que nasceu no povoado, a chegada do novo sistema é a realização de um sonho. “Vai ser bom demais, porque aqui no povoado a gente depende da água do chafariz, que é muito salobra e ruim para beber. E além dela, só a água dos tanques, que a gente usa para as tarefas de casa como lavar e cozinhar. Moro aqui desde que nasci e desde essa época que escuto que vai chegar água encanada e nunca veio. Mas agora sai, com fé em Deus! Porque nossa comunidade sofre muito com a falta de água na torneira".

A mesma expectativa é a da comerciante Barbara Costa Santos. “Nasci e me criei aqui no povoado e o que a gente mais quer é que essa água encanada chegue. E quando ela chegar vai ser uma bênção de Deus! Desde sempre a comunidade sofre com a falta de água e com essa água do chafariz muito salgada. E pra quem tem comércio então, vai ajudar muito. Foi uma reivindicação que sempre fizemos e agora o governador Jackson Barreto resolveu atender”, afirma.

De acordo com o engenheiro Dimas Góes, que integra a equipe da obra, falta pouco para a finalização do sistema, restando apenas a instalação dos hidrômetros e interligações. 20 trabalhadores atuaram nesta primeira etapa do projeto. “A segunda etapa prevê a construção do reservatório elevado, com capacidade de 100 metros cúbicos, para atender o Crioulo e povoados vizinhos. O projeto está na fase de orçamento para licitação, mas já adquirimos a área onde o reservatório será construído”. Ainda de acordo com o engenheiro, no projeto do reservatório serão investidos, aproximadamente, R$ 550 mil.

por Agência Sergipe

Comentários comentar agora ❯