Eleições 2018

Eleições 2018

Acompanhe aqui tudo que rola nos bastidores da política alagoana

Postado em 25/09/2018 11:06

Oposição usa tempo de candidato a governo para atacar Renan Calheiros

Reprodução
Oposição usa tempo de candidato a governo para atacar Renan Calheiros
PSDB escala Rui Palmeira para ocupar espaço que seria de Pinto de Luna

Utilizando o tempo do candidato ao governo nas inserções de rádio e TV destinadas à apresentação das propostas de José Pinto de Luna (PROS) ao governo, o prefeito Rui Palmeira foi ao ar atacar o senador e candidato à reeleição Renan Calheiros (MDB), líder nas pesquisas de intenção de voto para o Senado em Alagoas.

De forma gratuita, Rui Palmeira aponta as denúncias feitas por delação premiada nas investigações da Operação Lava Jato para tentar convencer o eleitorado a não votar no candidato do MDB. O prefeito sequer faz menção a qualquer proposta ou qualquer motivo pelo qual o eleitor alagoano deveria votar em outro candidato.

Também esquece que o candidato para o qual pede votos em outras inserções da propaganda eleitoral, Benedito de Lira, também foi denunciado em vários processos resultantes da Operação Lava Jato. No caso de Lira, os autores das denúncias não foram os empresários que tentavam reduzir suas punições apontando um alvo antigo das perseguições da Polícia Federal, mas os vastos indícios de que Benedito de Lira e seu filho, o deputado federal Arthur Lira (PP), comandavam uma série de falcatruas visando o desvio de recursos públicos.

Depois de uma desastrosa articulação para viabilizar as candidaturas ao Senado de Benedito de Lira e Rodrigo Cunha (PSDB), quando Rui Palmeira precisou se aliar a Fernando Collor de Mello (PTC) - outro campeão de processos do Supremo Tribunal Federal (STF) - e lançar uma infrutífera candidatura ao governo para abrir palanque para seus candidatos, o prefeito agora invade o tempo de Pinto de Luna, coadjuvante que substituiu Collor após sua desistência, para tentar evitar que Benedito de Lira perca seu mandato e seja, consequentemente, preso pela Polícia Federal.

Usando o tempo do candidato ao governo e consciente da ilegalidade das inserções com críticas ao senador do MDB, chapa de oposição busca evitar que o tempo atingido pelo direito de resposta iminente seja o dos candidatos ao Senado. Ou seja, previamente derrotado, Luna teve seu tempo no rádio e TV sacrificado para que sua coligação tente salvar da cadeia um candidato ao Senado.

Corrupção

A estratégia desesperada na reta final da campanha eleitoral deste ano se deve ao desempenho medíocre do senador do PP nas pesquisas eleitorais. Com apenas 23% da intenção de voto, Benedito de Lira aparece em terceiro lugar e vê se aproximar o fim de imunidade parlamentar, bem como as grades da prisão.

Em agosto de 2015, Benedito e Arthur Lira foram denunciados pela Procuradoria Geral da República (PGR) por envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. De acordo com a declarações feitas à Justiça pelo ex-presidente da Petrobras, Paulo Roberto da Costa, Benedito teria recebido propinas de até R$ 1 milhão decorrentes de sobrepreços em contratos da estatal. A denúncia também rendeu um pedido de afastamento feito ao STF pela Polícia Federal.

Em dezembro de 2016, a Justiça Federal no Paraná determinou o bloqueio de R$ 10,4 milhões em bens do senador, a pedido da Advocacia Geral da União (AGU), em decorrência de uma ação por improbidade administrativa movida pela AGU contra Benedito a partir da Operação Lava Jato. Ele é acusado de ter usado recursos oriundos do esquema de propinas investigado pela Polícia Federal, relacionados aos desvios na Petrobras, para pagar despesas da desastrada campanha ao governo em 2014.

Na ação, a AGU solicitou ainda a perda de mandato e a suspensão dos direitos políticos do senador pelo período de dez anos. A ação ainda tramita e pode resultar na cassação de Benedito. Em abril deste ano, a Justiça Federal no Paraná negou recursos apresentados pelo senador.

Atualmente, Biu responde a pelo menos três processos no Supremo Tribunal Federal (STF), sob os números 0000048-45.2015.1.00.0000, 0000063-14.2015.1.00.0000 e 0000068-36.2015.1.00.0000, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Caso fique sem mandato a partir de 2019, os processos referentes à Operação Lava Jato deverão ser enviados para a Justiça Federal em segunda instância, a mesma que já determinou as prisões de dezenas de políticos e empresários envolvidos, como o senador, nos crimes contra a Petrobras. 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 24/09/2018 19:22

Bolsonaro estaciona e Haddad cresce, acirrando ainda mais eleição presidencial

Divulgação
Bolsonaro estaciona e Haddad cresce, acirrando ainda mais eleição presidencial
Fernando Haddad e Jair Bolsonaro

O Ibope divulgou nesta segunda-feira (24) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre sábado (22) e domingo (23).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 28%
Fernando Haddad (PT): 22%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
Marina Silva (Rede): 5%
João Amoêdo (Novo): 3%
Alvaro Dias (Podemos): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 0%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 12%
Não sabe/não respondeu: 6%

Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira (18):

Jair Bolsonaro se manteve com 28%;

Haddad foi de 19% para 22%;

Ciro se manteve com 11%;

Alckmin foi de 7% para 8%;

Marina passou de 6% para 5%;

Os indecisos foram de 7% para 6% e os brancos ou nulos, de 14% para 12%.

Rejeição

O Instituto também perguntou: "Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?".

Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Os resultados foram:
Bolsonaro: 46%
Haddad: 30%
Marina: 25%
Alckmin: 20%
Ciro: 18%
Meirelles: 11%
Cabo Daciolo: 11%
Eymael: 11%
Boulos: 11%
Vera: 10%
Alvaro Dias: 9%
Amoêdo: 9%
João Goulart Filho: 9%
Poderia votar em todos: 2%
Não sabe/não respondeu: 7%

Simulações de segundo turno

Haddad 43% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)

Ciro 46% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)

Alckmin 41% x 36% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 4%)

Bolsonaro 39% x 39% Marina (branco/nulo: 19%; não sabe: 4%)

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Entrevistados: 2.506 eleitores em 178 municípios
Quando a pesquisa foi feita: 22 e 23 de setembro
Registro no TSE: BR-06630/2018
Nível de confiança: 95%
Contratantes da pesquisa: TV Globo e "O Estado de S.Paulo"

Comentários comentar agora ❯

Postado em 20/09/2018 10:22

Propostas de governo dos candidatos ao cargo de Presidente da República

As propostas constantes da tabela abaixo foram retiradas do Sistema DivulgaCandContas, que pode ser acessado por qualquer cidadão. Nesse Sistema, também estão disponíveis para consulta informações sobre prestação de contas dos candidatos, estatísticas de candidaturas, doadores e fornecedores de campanhas, além de outros dados eleitorais.

ALVARO DIAS 
CABO DACIOLO 
CIRO GOMES 
EYMAEL 
FERNANDO HADDAD 
GERALDO ALCKMIN 
GUILHERME BOULOS 
HENRIQUE MEIRELLES 
JAIR BOLSONARO 
JOÃO AMOÊDO 
JOÃO GOULART FILHO
MARINA SILVA
VERA

Comentários comentar agora ❯

Postado em 18/09/2018 09:00

Confira a agenda dos candidatos ao Governo de Alagoas para esta terça-feira, 18

Candidatos ao Governo de Alagoas divulgaram seus compromissos previstos para esta terça-feira, 18 de setembro. Confira agora mesmo a agenda de atividades de campanha dos postulantes à chefia do Executivo estadual:

Renan Filho (MDB)

9h – Café da manhã no auditório da Federação da Agricultura, em Maceió;

18h – Caminhada com Francisco Sales e lideranças, em Bebedouro;

20h – Encontro com Davi Davino e lideranças.

Josan Leite (PSL)

11h – Reunião com equipe de campanha;

14h – Reunião com técnico sobre planos de ação

Noite – À confirmar.

Basile Christopoulos (PSOL)

Gravação do Guia Eleitoral – 9h às 17h.

Os demais candidatos ainda não divulgaram suas atividades. Para entrar em contato com a redação do Aqui Acontece, basta enviar um e-mail para contato@aquiacontece.com.br ou pelo WhatsApp (82) 3551-5091.

Comentários comentar agora ❯

Postado em 17/09/2018 11:40

Candidato do PT, Fernando Haddad, é o que mais cresce em nova pesquisa presidencial

Reprodução
Candidato do PT, Fernando Haddad, é o que mais cresce em nova pesquisa presidencial
Pesquisa do instituto MDA foi encomendada pela CNT

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) lidera a disputa ao Palácio do Planalto com 28,2% das intenções de voto, segundo pesquisa do instituto MDA encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgada nesta segunda-feira (17).

Em segundo lugar, aparece Fernando Haddad (PT), com 17,6% da preferência dos entrevistados. A margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro, com 10,8%. Os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) aparecem tecnicamente empatados em quarto lugar, considerada a margem de erro.

Veja a intenção de voto estimulada para presidente:

Jair Bolsonaro (PSL): 28,2%
Fernando Haddad (PT): 17,6%
Ciro Gomes (PDT): 10,8%
Geraldo Alckmin (PSDB): 6,1%
Marina Silva (Rede): 4,1%
João Amoêdo (Novo): 2,8%
Alvaro Dias (Podemos): 1,9%
Henrique Meirelles (MDB): 1,7%
Cabo Daciolo (Patriota): 0,4%
Guilherme Boulos (PSOL): 0,4%
Vera (PSTU): 0,3%
José Maria Eymael (DC): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Branco/Nulo: 13,4%
Indeciso: 12,3%

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre 12 e 15, em 137 municípios de 25 unidades
da federação. Ela está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número
BR-04362/2018 e tem nível de confiança de 95%.

Este é o primeiro levantamento do instituto desde que a candidatura do expresidente
Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi indeferida pelo TSE e Fernando
Haddad foi oficialmente indicado em seu lugar.

A última pesquisa MDA/CNT de intenções de voto dos candidatos à Presidência da
República foi divulgada em 20 de agosto. No entanto, como todos os cenários
contavam com a presença do nome de Lula, não é possível comparar os resultados
da ocasião com os divulgados nesta segunda.

A pesquisa do mês passado trazia o ex-presidente Lula em primeiro lugar na
disputa presidencial, com 37,3% das intenções, seguido por Bolsonaro, com 18,8%.

Segundo turno

A pesquisa também trouxe cenários de segundo turno. Veja os principais
resultados, considerando a intenção de voto estimulada:

Cenário 1
Ciro Gomes: 37,8%
Jair Bolsonaro: 36,1%
Branco/Nulo: 19,6%
Indeciso: 6,5%

Cenário 2
Jair Bolsonaro: 39%
Fernando Haddad: 35,7%
Branco/Nulo: 18,2%
Indeciso: 7,1%

Cenário 3
Jair Bolsonaro: 38,6%
Henrique Meirelles: 25,7%
Branco/Nulo: 27,2%
Indeciso: 8,5%

Cenário 4
Jair Bolsonaro: 38,2%
Geraldo Alckmin: 27,7%
Branco/Nulo: 26,3%
Indeciso: 7,8%

Cenário 5
Jair Bolsonaro: 39,4%
Marina Silva: 28,2%
Branco/Nulo: 25,6%
Indeciso: 6,8%

Cenário 6
Ciro Gomes: 38,1%
Fernando Haddad: 26,1%
Branco/Nulo: 26,6%
Indeciso: 9,2%

Possibilidade de mudança de voto

A pesquisa divulgada nesta segunda perguntou aos entrevistados quem considera a
decisão da intenção de voto como definitiva e quem ainda pode mudar de opinião
até o dia das eleições, de acordo com o candidato de preferência.

Dos que indicaram votar em Bolsonaro, 78,2% afirmaram que a decisão é definitiva
e 21,8% afirmaram que ainda podem mudar. Dos que pretendem votar em Haddad,
75,4% falaram estar com a ideia consolidada e 24,6% falaram que ainda podem
mudar. Dos que preferem Ciro Gomes, 49,1% disseram estar consolidados com ele
e 50,9% disseram ainda não ter certeza.

Quanto aos que declararam voto em Alckmin, 48,4% não devem mudar enquanto
51,6% declararam estarem em aberto. Marina Silva tem 44,4% das intenções
consolidadas e 55,6% das intenções voláteis. Amoêdo tem 48,2% de seus eleitores
declarando a decisão como definitiva e 51,8% se declarando incertos.

Comentários comentar agora ❯

  • João Paulo O dinheiro do PT roda o mundo ????
  • elissandro ramos E 13 com força
Postado em 15/09/2018 07:22

Por falta de apoio, Collor renuncia à disputa pelo governo de Alagoas

Reprodução
Por falta de apoio, Collor renuncia à disputa pelo governo de Alagoas
O ex-presidente alegou falta de unidade ao grupo político que indicou a candidatura dele

O senador Fernando Collor de Mello (PTC) desistiu nesta sexta-feira, 14, da corrida ao governo de Alagoas. O ex-presidente alegou falta de unidade ao grupo político que indicou a candidatura dele. Na mais recente pesquisa do Ibope, datada de agosto, ele aparecia com 22%, atrás do atual governador, Renan Filho (MDB), que tinha 46%.

Em vídeo publicado no Instagram, Collor disse que foi procurado por um grupo de oposição a Renan Filho para ser candidato e que aceitou o pedido percebendo a coesão da aliança.

"Todos sabem do meu destemor, cumpro minha palavra, mas peço reciprocidade. Na ausência dela, perde sentido a missão a mim atribuída. Sem unidade, perde a candidatura o seu significado de existência", afirmou.

A aliança de Collor é composta do PSDB do vice Kelmann Vieira e dos partidos PP, PSB, PSC, PROS, PRB e DEM. O grupo ainda não indicou o substituto do ex-presidente na chapa.

O acerto de Collor com o PSDB foi lembrado durante entrevista do presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, ao Jornal Nacional, em 29 de agosto. A âncora do telejornal da Globo, Renata Vasconcellos, afirmou que o partido do ex-presidente apoiava o ex-governador paulista. Alckmin rebateu.

"O PTC não me apoia. Ele apoia outro candidato. Não está na minha coligação", respondeu o tucano na ocasião. No plano nacional, o PTC apoia o candidato Alvaro Dias (Podemos).

Veja o vídeo:

Comentários comentar agora ❯

Postado em 14/09/2018 09:27

‘Como anular meu voto?’ e a pergunta mais pesquisada no Google

Divulgação
‘Como anular meu voto?’ e a pergunta mais pesquisada no Google

A Google recém lançou uma página especial sobre as eleições 2018 no Brasil. Nela, usuários poderão acompanhar tendências de pesquisa, além de dados e gráficos sobre interesses de busca de brasileiros.

Ligada ao Google Trends, a nova página indica que a pergunta eleitoral mais buscada pelos brasileiros nos últimos sete dias é “Como anular meu voto?”. Fechado o TOP 5, estão: “Como justificar o voto?", "O que acontece se eu não votar?", "Em quem votar em 2018?" e "O que é democracia?".

Sobre os candidatos, o mais buscado é Jair Bolsonaro (PSL) com 86%, seguindo por Ciro Gomes (PDT) com 5% e Fernando Haddad (PT) com 3%. Vale notar, como diz Marco Túlio Pires, do Google News, que “quem tem mais exposição da mídia gera mais interesse das pessoas na busca. Porém, é uma área muito viva, muda a todo tempo”.

"Nas redes sociais, as pessoas arrumam seus perfis, colocam fotos bonitas, têm um tipo de comportamento. Nas máquinas de busca, a autenticidade é muito grande. As informações são anonimizadas em escala global e conseguimos captá-las em tempo real. Os brasileiros estão pesquisando muito sobre partidos, campanhas e legislação. Seria ruim mantermos esses insights, que surgem de forma tão autêntica, só para a gente", disse Pires para a Folha.

Comentários comentar agora ❯

Postado em 13/09/2018 15:46

Associado diretamente a Lula, Haddad soma 22% e ultrapassa Bolsonaro

Divulgação
Associado diretamente a Lula, Haddad soma 22% e ultrapassa Bolsonaro
Haddad avança à sombra de Lula

A nova pesquisa CUT/Vox Populi confirma o poder de transferência de voto de Lula, preso em Curitiba e impedido de concorrer à presidência da República pelo Tribunal Superior Eleitoral. Quando claramente apresentado aos eleitores como o candidato do ex-presidente, o petista Fernando Haddad alcança 22% de intenção de votos e assume a liderança na disputa.

Jair Bolsonaro, do PSL, aparece em segundo, com 18%. Ciro Gomes, do PDT, registra 10%, enquanto Marina Silva, da Rede, e Geraldo Alckmin, do PSDB, aparecem com 5% e 4%, respectivamente. Brancos e nulos somam 21%.

O Vox Populi ouviu 2 mil eleitores em 121 municípios entre 7 e 11 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para cima ou para baixo. O índice de confiança chega a 95%.

O instituto tomou a decisão de associar Haddad diretamente a Lula no questionário, ao contrário das demais empresas de pesquisa. Segundo Marcos Coimbra, diretor do Vox Populi, não se trata de uma indução, mas de fornecer o máximo de informação ao eleitor. “Esconder o fato de que o ex-prefeito foi indicado e tem o apoio do ex-presidente tornaria irreal o resultado de qualquer levantamento. É uma referência relevante para uma parcela significativa dos cidadãos. Chega perto de 40% a porção do eleitorado que afirma votar ou poder votar em um nome apoiado por Lula”.

Um pouco mais da metade dos entrevistados (53%) reconhece Haddad como o candidato do ex-presidente. O petista, confirmado na terça-feira 11 como o cabeça de chapa na coligação com o PCdoB, também é o menos conhecido entre os postulantes a ocupar o Palácio do Planalto: 42% informam saber de quem se trata e outros 37% afirmam conhece-lo só de nome.

O desconhecimento é maior justamente na parcela mais propensa a seguir a recomendação de voto de Lula, os mais pobres e menos escolarizados. De maio para cá, decresceu sensivelmente o percentual de brasileiros que afirmam não saber que o ex-presidente está impedido de disputar a eleição: de 39% para 16%.

Ainda assim, é em meio a este público que Haddad registra grandes avanços. Na comparação com a pesquisa de julho, mês no qual o PT ainda nutria esperanças de garantir Lula na disputa, o ex-prefeito passou de 15% para 24% entre os eleitores com ensino fundamental e de 15% para 25% entre aqueles que ganham até dois salários mínimos. O petista chega a 31% no Nordeste e tem seu pior desempenho na região Sul (11%), mesmo quando associado ao ex-presidente.

Ciro Gomes é o menos rejeitado (34%) entre os cinco candidatos mais bem posicionados. Haddad tem a segunda menor taxa, 38%. No outro extremo, com 57%, aparece Bolsonaro.

O deputado, internado desde a sexta-feira 7 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, registra contudo o maior percentual de menções espontâneas (13%), contra 4% de Ciro e Haddad, 3% de Marina e 2% de Alckmin.

O fato de as citações espontâneas se aproximarem da porcentagem registrada por Bolsonaro nas respostas estimuladas demonstra, ao mesmo tempo, um teto do candidato do PSL e uma resiliência que tende a leva-lo à próxima fase da disputa presidencial.

O Vox realizou diversas simulações de segundo turno. Bolsonaro venceria Alckmin (25% a 18%), empataria tecnicamente com Marina (24% a 26%) e perderia para Ciro (22% a 32%) e Haddad (24% a 36%). O pedetista e o petista vencem os demais. O instituto não fez a simulação de um confronto entre os dois.

Por fim, a pesquisa mediu a percepção dos eleitores em relação ao ataque a Bolsonaro ocorrido em Juiz de Fora em 6 de setembro. A maioria absoluta, 64%, associa a facada a um ato solitário de um indivíduo desequilibrado, “com problemas mentais”. Outros 35% acreditam tratar-se de um atentado organizado e planejado, com fins políticos.

A maior parte dos entrevistados (49% contra 33%) não crê que o episódio possa influenciar a decisão de voto dos brasileiros.

Comentários comentar agora ❯

Postado em 12/09/2018 08:43

Confira a agenda dos candidatos ao Governo de Alagoas para esta quarta-feira, 12

Candidatos ao Governo de Alagoas divulgaram seus compromissos previstos para esta quarta-feira, 12 de setembro. Confira agora mesmo a agenda de atividades de campanha dos postulantes à chefia do Executivo estadual:

Renan Filho (MDB)

Candidato estará em viagem

Fernando Collor (PTC)

11h50 - Sabatina no AL-TV 1ª Edição

15h - Reunião no escritório de campanha

20h - Reunião no João Sampaio

Basile (Psol)

São Miguel dos Campos

7h - Visita ao Ifal

Coruripe

8h30 - Visita ao Mercado e Praça Central

Penedo

12h - Almoço com lideranças

14h - Caminhada pelo Centro Comercial

16h30 - Encontro com o diretor da Ufal

17h30 - Panfletagem na Ufal e visita

18h30 - Comício em frente à Ufal

Os demais candidatos ainda não divulgaram suas atividades. Para entrar em contato com a redação do Aqui Acontece, basta enviar um e-mail para contato@aquiacontece.com.br ou pelo WhatsApp (82) 3551-5091.

Comentários comentar agora ❯

Postado em 11/09/2018 18:38

“Nosso nome agora é Haddad”: em carta, Lula e PT indicam candidato

“Eu sei que um dia a verdadeira Justiça será feita e será reconhecida minha inocência. E nesse dia estarei junto com Haddad para fazer o governo do povo”. Mesmo diante de injustiças incontornáveis e do silêncio do STF, Lula e o Partido dos Trabalhadores optaram por respeitar o prazo imposto pelo TSE.

Daqui para frente, Fernando Haddad e Manuela D’Àvila andarão pelo país levando a mensagem de Lula e do 13 como candidatos a presidente e vice, respectivamente.

O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (11), em um ato emocionante em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba. Coube à a presidenta Gleisi Hoffmann apresentar a decisão de Lula e a posição do partido, sem jamais deixar de lado a indignação.

“Hoje é um derradeiro, um dia determinado pela Justiça. Mas não é um dia de derrota. Mas dor, indignação e revolta, que são o fermento da nossa luta. E é desse fermento que aceitamos o desafio do presidente Lula, de não deixar o povo brasileiro sem alternativas”, disse.

Comentários comentar agora ❯